DESTAQUES CEARENSES

DESTAQUES

CEARENSES

Edição

2020

Alexandre Sales

Troféu Empreendedores

*******

Igor Queiroz Barroso

Troféu Benemerência

*******

Cabeto Martins Rodrigues

Troféu Prasino Angelos

_______________________

PALAVRA DO ANO

EM 2020

“PANDEMIA”

*******

SENTIMENTO

MAIS DEMANDADO

EM 2020

“RESILIÊNCIA”

______________________

quarta-feira, 15 de julho de 2015

ARTIGO - Glub, Glub...! (WI)

GLUB, GLUB...!
Wilson Ibiapina*

Vai um texto do jornalista Josias de Souza: Glub, glub...! 
"Reunidos no gabinete da presidência do Senado, os líderes partidários esperavam Joaquim Levy. Como o ministro da Fazenda demorava a chegar, o senador Omar Aziz (AM), líder do PSD, lançou uma interrogação no ar: “Como é, minha gente, nós vamos fazer de conta que não está acontecendo nada?”
Brasília vivia uma terça-feira de Titanic. Agentes federais varejavam endereços de políticos. Entre eles três senadores: Fernando Collor (PTB-AL), Ciro Nigueira (PP-PI) e Fernando Bezerra (PSB-PE). E os líderes simulavam normalidade. Mais ou menos como os passageiros do célebre transatlântico, que desfrutavam do som da orquestra enquanto a água invadia as escotilhas.
Antes que a pergunta de Aziz fosse respondida, chegou à sala o Ministro da Fazenda. E a prosa mudou de rumo. Horas depois, Renan Calheiros leria no Plenário do Senado uma nota de repúdio à ação dos agentes da PF. Chamou de “invasão” o cumprimento de ordens de busca e apreensão emanadas do STF. Suas palavras soaram como o comando do maestro do Titanic para que a orquestra continuasse tocando.
A cinco quilômetros dali, Lula almoçava no Palácio da Alvorada com Dilma Rousseff e alguns de seus ministros petistas: Aloízio Mercadante (Casa Civil), Edinho Silva (Comunicação Social), Miguel Rossetto (Secretaria-Geral da Presidência) e Jaques Wagner (Defesa). Com água pela cintura, disse-lhes que a Lava Jato é assunto para o PT, não para o governo.
Lula aconselhou Dilma e os ministros a trocarem os gabinetes pela estrada. Acha que devem se tornar espécies de caixeiros-viajantes, propagando aos quatro ventos o que o governo faz de “bom”. Regente dos regentes, o criador de Dilma finge não notar que o desnível no chão do navio não decorre da má qualidade do champanhe.
A verdade é que o rombo no casco do governo Dilma foi aberto na administração Lula. Ele se cercou de aliados idealistas. Gente como Collor, Renan e um interminável et cetera. A Lava Jato, com seus 18 delatores, demonstrou que todo esse idealismo estava impulsionado pela mesma invenção que já havia produzido o mensalão: o dinheiro.
O enredo de Titanic, o filme, é sobre um homem, uma mulher e um iceberg. Na sua versão brasiliense, o script é parecido: o criador, a criatura e os aliados que ajudam a puxar para o fundo o mito da superioridade moral. Nunca antes na histór… glub…glub…glub…"


Josias de SouzaJosias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na "Folha de S.Paulo" (foi repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). 


*Wilson Ibiapina
Jornalista
Diretor da Sucursal do Sistema Verdes Mares de Comunicação em Brasília - DF
Titular da Cadeira de nº 39 da ACLJ

Nenhum comentário:

Postar um comentário