HOMEM DO ANO NO CEARÁ

2019

Cândido Albuquerque

Reitor da UFC

______________________

DESTAQUE CEARENSE

2019

Mansueto Almeida

Secretário do Tesouro Nacional

_______________________

PALAVRA DO ANO NO BRASIL

EM 2019

“PROTAGONISMO”

(COM AS SUAS COGNATAS)

______________________


terça-feira, 24 de março de 2020

ARTIGO - A Rússia em Tempo de Covid-19 (DS)


A RÚSSIA
EM
TEMPO DE COVIDE-19
Dmitry Sidorenko*



Atualmente, o número de doentes com coronavirus na Rússia chegou a 500, na ordem de 200 são naturais de Moscou – e, não por acaso, na maioria gente que voltou recentemente da Europa. Os habitantes de Moscou viajam mais para a Europa do que para outras cidades do País. Porém, comparando com o número de doentes, e, sobretudo, com o número de mortos na Itália (hoje já chegam a 6.000), a situação aqui na Rússia está tranquila... pelo menos por enquanto.

Até o dia de ontem a Rússia já mandou mais de 10 aviões com equipamentos e médicos militares, bons infectologistas que lutaram contra vários tipos de vírus, em varias partes do mundo (contra o Ebola, na África, por exemplo), para ajudar a população da Itália a superar essa tragédia.

No noticiário desta manhã foi exibido um vídeo italiano sobre um velho que tirou da varanda de sua casa a bandeira da Comunidade Europeia (aquela azul, com as estrelinhas amarelas), para esconder no quarto escuro, e botou a bandeira da Rússia, ao lado da bandeira da Itália.

No Brasil a situação começou igual à nossa. A vida mudou muito com esse coronavirus – no Brasil, na Rússia e no mundo todo, nas últimas três semanas. Diz-se por aqui que esse vírus fica ativo com a temperatura do ar de +5 a +8. Em temperaturas mais baixas, se não passar direto de boca a boca pelas cotículas de saliva, esse vírus morre.

A propósito, hoje ficamos contentes com a temperatura de 1,5 negativo, pois nessas condições ambientais o vírus fica menos ativo. No caso do Brasil, com o calor de 36 a 37 graus, ele deveria ser neutralizado, mas, afinal, a epidemia continua, de modo que talvez ele tenha certa variação tropical. 

Na Rússia, ainda sem se dispor de uma vacina específica contra esse vírus, os cientistas estão aplicando a sua experiência de muitos anos da luta contra vários tipos de gripe, nos invernos rigorosos, agora na busca de remédios contra este novo coronavirus.            

Nunca a Rússia viveu uma situação como esta, em que todas as fronteiras se fecharam. A Rússia se fechou até 1º de maio. Temos esperança de que a situação melhore em maio, ou, pelo menos, em junho. Se Deus quiser.

São Petersburgo - Rússia - 24.02.2020


Nenhum comentário:

Postar um comentário