HOMEM DO ANO NO CEARÁ

2019

Cândido Albuquerque

Reitor da UFC

______________________

DESTAQUE CEARENSE

2019

Mansueto Almeida

Secretário do Tesouro Nacional

_______________________

PALAVRA DO ANO NO BRASIL

EM 2019

“PROTAGONISMO”

(COM AS SUAS COGNATAS)

______________________


domingo, 19 de maio de 2019

CRÔNICA - O Telex e o Vigia (TL)

O TELEX E O VIGIA
Totonho Laprovitera*


O Telex era um sistema de comunicações bastante utilizado até ao final do século passado. Consistia numa rede mundial com terminais únicos – parecidos com máquinas de escrever – que se comunicavam em mensagens escritas e imediatas.


Para melhor aparelhar a empresa, os sócios Gera e Chiquinho adquiriram um aparelho de Telex, o que lhes foi, na época, um avanço nos serviços de mensagens e troca de informações, como ordens de compras, de pagamentos etc. Dada a tamanha importância do aparelho, criaram até uma sala exclusiva para ele. E foi nela onde ocorreu a seguinte história.

Logo cedo, o destemido “seu” Raimundo procurou os patrões para contar o que havia acontecido de arrepiante em sua noite de vigia:

– Meus patrõezinhos, eu já vi de tudo nesse mundo de meu Deus. Mas, o que testemunhei nessa noite foi de fazer as pernas tremerem!

– E o que foi que aconteceu, “seu” Raimundo? – indagou Gera.

– Olhe, patrãozinho, que eu não tenho medo de assombração, não...

– Assombração? – inquiriu Chiquinho.

– Sim, meus patrõezinhos, foi o que eu vi essa noite!

– Conte!

– Meus doutores, já era quase madrugada quando vi um barulho na sala da máquina nova...

– E aí?

– Aí, quando eu fui ver que diacho era... Era a máquina escrevinhando sozinha! Sozinha, não!

– E quem estava na máquina?

– Com os olhos que a terra há de comer, só podia ser coisa de alma penada bulindo na máquina!

– E o senhor, o que fez?

– Peguei o revólver e apontei no rumo da máquina, mas, como estava um breu de escuro, tive medo de errar na alma e acertar na tadinha da máquina!

– Êita!

– Mas, pra acabar com a marmota da aparição, eu desliguei foi a máquina da tomada!

– Mas, "seu" Raimundo...

– Que que foi?

– A máquina nova é automática e quando parece que está escrevendo sozinha, na verdade, ela está é conectada à uma outra, com alguém escrevendo à distância, entendeu?

– Não.

– Bem, então, da próxima vez que ela estiver escrevendo sozinha, afaste-se dela e nem pensar em atirar, viu?


– Pode deixar, que daqui pra frente eu vou puxar é um rosário!



Nenhum comentário:

Postar um comentário