HOMEM DO ANO NO CEARÁ

2019

Cândido Albuquerque

Reitor da UFC

______________________

DESTAQUE CEARENSE

2019

Mansueto Almeida

Secretário do Tesouro Nacional

_______________________

PALAVRA DO ANO NO BRASIL

EM 2019

“PROTAGONISMO”

(COM AS SUAS COGNATAS)

______________________


segunda-feira, 27 de maio de 2019

CRÔNICA - Cuscuz Paulista (TL)


CUSCUZ PAULISTA
Totonho Laprovitera*


Moro no Mucuripe, bairro que guarda as qualidades de lugar simples e de personalidade forte. Aqui, eu bem me sinto como se estivesse na Fortaleza de antigamente, pois os bons costumes são conservados, como, por exemplo, as cadeiras na calçada para boas rodas de conversa ao entardecer. 

Ao amanhecer, é comum ouvir um galo cantar, anunciando o nascer do dia. Pessoas em paz varrem suas calçadas e outras, tranquilamente, andam pelo meio da rua. Até parece cidade do interior. 

As bodegas vendem fiado, os bares somente à dinheiro e as mercearias ainda trabalham com a velha caderneta. Todos se conhecem e se tratam pelo nome – muitos apelidos – dão-se “bom dia”, “boa tarde” e “boa noite”. Pedem “com licença” e “por favor”, respeitam-se e se ajudam. 

Hoje, acordei com o costumeiro anúncio do vendedor ambulante, com aquele vozeirão de tenor alencarino, atroando repetidamente: “Cuscuz Paulista! Cuscuz Paulista! Cuscuz Paulista!” Daí, pulei da minha velha rede e o chamei: 

– Freguês, aqui em cima, na janela! 
– Vai querer quantos? 
– Dois. 
– Muito bem... 

Avexado, desci à portaria do prédio para pegar o manjar e, enquanto ele separava os cuscuzes e eu folheava o pagamento, contando as cédulas de "couro de rato", puxei assunto: 

– O senhor mora aqui perto? 
– Longe... 
– Longe onde? 
– Barra do Ceará. 
– Vixe! De lá pra cá é chão... 
– De ônibus, dá 13 quilômetros e leva uns 45 minutos pra chegar. 
– Quer dizer que você vem de ônibus? 
– Um pedaço, de ônibus, mas, a maior parte, à pé... 
– Pela distância, então, vale a pena vir vender por aqui, né? 
– Tenho uma boa freguesia por aqui, mas né só por isso, não. 
– E por que mais? 
– Doutor, se Deus quiser, um dia ainda moro neste Mucuripe!


Nenhum comentário:

Postar um comentário