HOMEM DO ANO NO CEARÁ

2019

Cândido Albuquerque

Reitor da UFC

______________________

DESTAQUE CEARENSE

2019

Mansueto Almeida

Secretário do Tesouro Nacional

_______________________

PALAVRA DO ANO NO BRASIL

EM 2019

“PROTAGONISMO”

(COM AS SUAS COGNATAS)

______________________


quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

REUNIÃO NA TENDA ÁRABE - MOMENTO LITERÁRIO (08.01.19)

REUNIÃO 
NA 
 TENDA ÁRABE
E MOMENTO LITERÁRIO
DA EMBAIXADA


Na noite da última terça-feira (08.01.19), reuniram-se na Tenda Árabe os acadêmicos Arnaldo Santos, Altino Farias, Rui Martinho Rodrigues, Reginaldo Vasconcelos, Luiz Rego, Totonho Laprovitera, Adriano Vasconcelos e o artista sônico Dilson Coelho. 





Nesta primeira reunião informal da ACLJ de 2019, Luiz Rego Filho, Membro Correspondente no Rio de Janeiro, veio a Fortaleza, trazendo um mimo literário ao Presidente Reginaldo Vasconcelos – a magnífica obra de realidade fantástica do escritor fluminense José Cândido de Carvalho, intitulada "O Coronel e o Lobisomem".




Trouxe ainda dois presentes especiais para o Membro Titular Totonho Laprovitera, seu amigo de juventude, consistindo em uma camisa de nº 6 do time carioca Botafogo de Futebol e Regatas, notabilizada pelo jogador Nilton Santos, time preferido e ídolo futebolístico do Totonho,  e uma pintura que o próprio Luiz produziu na juventude, antes de desistir das artes plásticas, matéria em que o presenteado é um grande ícone nacional. 

A experiência gastronômica desta vez foi brochete de carne ao molho madeira e champinhom, especialidade da culinarista Graça Leandro, prato do repertório culinário da família Vasconcelos.

Seguiu-se à reunião a sessão de leitura de poesia e de prosa poética, o “Momento Literário da Embaixada da Cachaça”.




Esta prática artística e performática, internacionalmente designada como poetry slam,  nasceu em Chicago, na Green Mill Tavern, em meados dos anos 80, por inciativa do escritor Marc Kelly Smith, disseminando-se por todo o país e depois pela Europa, e por outras partes do mundo. A palavra inglesa slam refere a poesia produzida para ser lida em público.




Roberto Paiva, cliente da casa, sempre presente entre os leitores, abriu a sessão de leituras e declamações com um de seus poemas, seguido por Luciano Maia, Romeu Duarte, Totonho Laprovitera, Luiz Rego Filho e Reginaldo Vasconcelos, que leu a crônica A Tábua de Deus, escrita e publicada em 2006, de que são personagens Luciano Maia e Adriano Vasconcelos, presentes à Embaixada, e os poetas Artur da Távola e José Carlos Mourão da Rocha, estes in memoriam. Dilson Coelho fez fundo musical durante toda a sessão, e ao final executou uma bela canção romântica, com voz e violão.


Nenhum comentário:

Postar um comentário