DESTAQUES CEARENSES

DESTAQUES

CEARENSES

Edição

2020

Alexandre Sales

Troféu Empreendedores

*******

Igor Queiroz Barroso

Troféu Benemerência

*******

Cabeto Martins Rodrigues

Troféu Prasino Angelos

_______________________

PALAVRA DO ANO

EM 2020

“PANDEMIA”

*******

SENTIMENTO

MAIS DEMANDADO

EM 2020

“RESILIÊNCIA”

______________________

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

RESENHA - Programa Da Hora (13.09.18)

PROGRAMA “DA HORA”
APRESENTADOR
ALFREDO MARQUES
TV UNIÃO
 13.09.18

O Programa Da Hora – que vai ao ar, ao vivo, de segunda a sexta-feira, às 12:30h, com reprise às 18:30h, pela TV União (Canal 17.1 na TV aberta e 521 na Multiplay) – na edição desta quinta-feira (13.09) teve a participação do seu apresentador titular Alfredo Marques, e dos também advogados Roberto Pires, Djalma Pinto e Reginaldo Vasconcelos, presidente da ACLJ. Na edição ao vivo, antecipado para as 12:00h, durante o período da propaganda eleitoral.


Alfredo Marques abriu o programa informando que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) concedeu, no início da noite de quarta-feira (12), liminar ao Ministério Público Federal (MPF), para manter preso o dono do Grupo Pague Menos, Deusmar Queirós, e mais quatro colaboradores que foram no mesmo processo condenados, os quais haviam sido liberados mais cedo. O grupo fora preso no último domingo (9), por crime contra o Sistema Financeiro.

A decisão do STJ suspendeu a liminar concedida pelo desembargador Roberto Machado, do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5), até que se chegue a uma decisão final no Órgão sobre a prisão de Deusmar.

Entretanto, ao assumir a mesa, na segunda parte do programa, Reginaldo Vasconcelos informou que naquela manhã falara ao telefone com Geraldo Gadelha, que estava preso com Deusmar na mesma cela da Unidade Prisional Irmã Imelda, o qual estava em casa, em prisão domiciliar, com uso de tornozeleira eletrônica, e que afirmou ser essa a situação de todos quatro.


Entretanto não se sabe se essa condição dos presos será mantida, ou se a liberdade foi revertida novamente, pois a “guerra de liminares” pode ter prosseguido, como tem ocorrido recentemente no Judiciário Brasileiro.

Alfredo Marques referiu-se então a uma pesquisa realizada pelo Instituto Vox Populi, ligado à Central Única dos Trabalhadores (CUT), dando conta de que nesta consulta popular se concluíra que o candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, que substitui Lula da Silva na cabeça da chapa, teria superado Jair Bolsonaro na intenção de fotos para o primeiro turno.


A mesa considerou que esse resultado seria falso, porque absolutamente divergente do que os demais instituto de pesquisas constataram, com a subida de Bolsonaro em quatro pontos, depois do atentado que sofreu, com queda da Marina Silva e ascensão discreta de Ciro Gomes e de Haddad, permanecendo Bolsonaro isolado em primeiro lugar.  

Alfredo então provocou a mesa, que desacreditava o resultado de uma consulta da esquerda, enquanto dava crédito pleno aquelas contratadas por grandes redes jornais e televisão, realizadas pelos institutos  Ibope e Data Folha. Consultou se essa posição dos debatedores não seria incoerente.




A propósito disso, Djalma Pinto afirmou que nenhuma dessas pesquisas é confiável, e deveriam todas ser proibidas, pelo seu potencial de influenciar o eleitorado, no vezo do chamado  “voto útil”, quando as pessoas preferem concentrar seus votos nos candidatos que essas consultas indicam estarem com mais chance de sucesso. 

Djalma exemplificou com o caso notório do Deputado Heitor Ferrer, em eleições passadas, o qual, em face de uma pesquisa de última hora, indicando falsamente que ele tinha menos intenções de votos do que de fato teria, teve uma grande fuga dentre os seus eleitores, fazendo-o perder o pleito.  

Roberto Pires, sempre enfático, rasgou simbolicamente uma folha de papel na bancada, simulando fazê-lo com toda e qualquer pesquisa eleitoral, que para ele são sempre viciadas pelos interesses de quem contrata e paga a consulta.       
    

Nenhum comentário:

Postar um comentário