DESTAQUES CEARENSES

DESTAQUES

CEARENSES

Edição

2020

Alexandre Sales

Troféu Empreendedores

*******

Igor Queiroz Barroso

Troféu Benemerência

*******

Cabeto Martins Rodrigues

Troféu Prasino Angelos

_______________________

PALAVRA DO ANO

EM 2020

“PANDEMIA”

*******

SENTIMENTO

MAIS DEMANDADO

EM 2020

“RESILIÊNCIA”

______________________

domingo, 18 de novembro de 2018

NOTA CULTURAL - Sarau Prazenteiro

SARAU PRAZENTEIRO


As poetisas Karla Karenina e Alana Alencar organizaram um sarau em que reuniram amigos literatos, na noite deste sábado (17.11.18). Foram convidados para a tertúlia cultural os confrades Reginaldo Vasconcelos e Paulo Ximenes, Presidente e Tesoureiro da ACLJ, da qual ambas são acadêmicas titulares.








Além destes, compunham a roda de leitura e declamação os poetas Camila Fernandes e Jacy Luz, Dom Júlio Soares, Gylmar Chaves, Breno Albuquerque, Jardel Maia, Marta e Mateus Pinto, Marisa e Thiago. 


O violonista Marcelo Melo fazia fundo musical para a leitura dos textos e executava canções nos intervalos.


O evento, em que prevaleciam penumbra e luz de velas, teve lugar no aconchegante jardim da casa de Karla Karenina, em que reina Estrela Dálmata, na imagem posando entre os convidados, fazendo as honras da casa em que também se considera anfitriã.


Além da produção autoral dos presentes, entre poesia e prosa poética, também foram lidas ou recitadas peças de Linhares Filho, Jáder de Carvalho, Artur Eduardo Benevides, Fernando Pessoa, Paula Ney, Olavo Bilac, Vinício de Moraes, dentre outros.



As músicas, no violão de Marcelo Melo, cantadas individualmente ou em coro, foram desde composições dos componentes do “Pessoal do Ceará” (Fagner, Belchior, Ednardo, Rodger Rogério) à Bossa Nova de Tom e Vinícius, passando pelos caririenses Luiz Fidélis e Abdoral Jamacaru, até os baianos do tropicalismo, Gil e Caetano – com concessões à música romântica italiana de Pepinno di Capri e Domenico Modugno.

Na oportunidade, Karla passou às mãos do Presidente Reginaldo Vasconcelos, para a biblioteca da ACLJ, um exemplar do Dicionário de Formas e Construções Opcionais da Língua Portuguesa (Edições UFC - Ano 2000), de autoria do seu saudoso pai, o lexicógrafo José Alves Fenantes, imortal da Academia Cearense de Letras, bem como membro titular da ACLJ.

Ao final, para a descontração do grupo, Karla Karenina fez performances rápidas com os seus personagens cômicos consagrados na TV, Gylmar Chaves disse poemas facetos, e Reginaldo Vasconcelos leu croniquetas burlescas de Dejoces, poeta da comunidade Pelos Bares da Vida.  

A ACLJ pretende promover e estimular esses encontros presenciais em que a arte se exercita, cumprindo a sua melhor missão, que é a ebulição dos mais nobres sentimentos da alma humana, em busca da estética sublime, no gozo supremo do intelecto, com o calor humano presidindo as relações sociais   o que se tornou um luxo especial em tempos de mídias eletrônicas.


   

Um comentário: