HOMEM DO ANO NO CEARÁ

2019

Cândido Albuquerque

Reitor da UFC

______________________

DESTAQUE CEARENSE

2019

Mansueto Almeida

Secretário do Tesouro Nacional

_______________________

PALAVRA DO ANO NO BRASIL

EM 2019

“PROTAGONISMO”

(COM AS SUAS COGNATAS)

______________________


quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

REUNIÃO NA TENDA ÁRABE - MOMENTO LITERÁRIO (11.12.18)

REUNIÃO 
NA 
 TENDA ÁRABE
E MOMENTO LITERÁRIO
DA EMBAIXADA


Na noite da última terça-feira (11.12.18) reuniram-se na Tenda Árabe os acadêmicos Adriano Jorge, Altino Farias, Rui Martinho Rodrigues, Arnaldo Santos, Humberto Ellery e Reginaldo Vasconcelos.




A experiência gastronômica desta vez foi um espaguete a bolonhesa, antecedido de tira-gosto de calabresa com fritas, e entrada de canecas de caldo de feijoada com torradas.

Seguiu-se à reunião a sessão leitura de poesia e de prosa poética, o “Momento Cultural da Embaixada da Cachaça”.



Esta prática artística e performática, internacionalmente designada como poetry slam,  nasceu em Chicago, na Green Mill Tavern, em meados dos anos 80, por inciativa do escritor Marc Kelly Smith, disseminando-se por todo o país e depois pela Europa, e por outras partes do mundo. A palavra inglesa slam refere a poesia produzida para ser lida em público.


Roberto Paiva, cliente da casa, sempre presente entre os leitores, abriu a sessão de leituras com um de seus poemas, seguido por  Altino Farias, que leu uma bela crônica dedicada à sua mulher, sobre a artificialidade da indústria de cosméticos ante a beleza essencial, e em seguida um pequeno conto de natal, tratando do contraste entre a ceia noelina da classe média e dos mais simples, muitas vezes privados desse momento em família por motivo de trabalho.




Na sequência, o imortal da ACL e da ACLJ Luciano Maia leu o poema "Bênção para os Campos dos Quatro Cantos do Mundo", de Daniel Varujan,  poeta armênio falecido em 1915, cuja obra lírica Luciano traduziu com maestria.  Reginaldo Vasconcelos, por seu turno, disse o Soneto da Marrã Extraviada, dedicada a ele pelo autor, Luciano Maia, no seu livro "Do Mar ao Rio".




A poetisa Concita também leu um poema de sua autoria, de inspiração natalina; Romeu Duarte declamou versos do saudoso bardo amazônida Jorge Tufic, de origem libanesa, autor do Hino do Estado do Amazonas,  que se radicou no Ceará há muitos anos, e que faleceu em fevereiro deste ano de 2018, aos 87 anos. 



Humberto Ellery narrou de forma teatral a Batalha de Zama (202 a.C), em que o maior estrategista militar de todos os tempos, o general cartaginês Anibal Barca, após grandes feitos militares contra o poderio de Roma, foi finalmente derrotado pelo exército de Cipião; Adriano Vasconcelos leu Fernando Pessoa, e finalmente Maria de Jesus rememorou bela mensagem de natal que produziu anos atrás, para colegas de trabalho.

O escocês Andrey, da empresa Johnny Walker/Ypioca, estava presente a um desses momentos literários da Embaixada da Cachaça, e quis participar, cantando uma cantiga de seu país, que trata do êxodo da juventude em direção aos EUA  conforme foi registrado no vídeo abaixo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário