domingo, 7 de maio de 2017

RESENHA - Programa Dimensão Total (07.05.17)


PROGRAMA
DIMENSÃO TOTAL
07.05.17



Dimensão Total é um programa radiofônico semanal de debates, do Jornalista Ronald Machado, pela Rádio Assunção de Fortaleza, na sintonia AM 620 ou pela Web, aos domingos, entre 10 e 12 horas, apresentado interinamente por Reginaldo Vasconcelos, Presidente da ACLJ, tendo como assistente de estúdio o radialista e produtor executivo Alexandre Maia.




O tema musical de abertura do programa de 07 de maio foi a canção intitulada CORAÇÃO SELVAGEM, de autoria de Belchior, e interpretada por ele, o compositor cearense recentemente falecido.


Como sabemos, Belchior acumulou dívidas em volume impagável e por volta do ano de 2006 abandonou tudo e sumiu do cenário, sendo encontrado, por uma reportagem da Rede Globo, em 2009, morando no Uruguai, onde concedeu uma entrevista.

Somente se soube dele novamente quando do seu falecimento, no dia 30 de abril passado, na cidade gaúcha de Santa Cruz do Sul, onde morava de favor em casa cedida por um fã. A causa mortis teria sido o rompimento da veia aorta, localizada no coração.

A letra desta canção, Coração Selvagem, que selecionamos entre tantas de sua vasta obra, tem versos premonitórios sobre a sua vida e a sua morte, pois faz conjecturas sobre como ele morreria, sobre a possibilidade de seu descaminho, que afinal ele pôs em prática, bem como referência ao seu frágil coração, que afinal se lhe partiu no sono. 


Talvez eu morra jovem, alguma curva no caminho
Algum punhal de amor traído completará o meu destino

Vida, pisa devagar, meu coração, cuidado, é frágil
Meu coração é como vidro, como um beijo de novela

E arriscar tudo de novo com paixão

Andar caminho errado pela simples alegria de ser


Acionando o link abaixo você poderá ouvir a canção. 




Compareceram ao programa o jurista Djalma Pinto, o advogado Roberto Pires, o Delegado da Polícia Federal César Bertozi, o jornalista e sociólogo Arnaldo Santos, o polímata Jeová Mendes e o agrônomo e ex-reitor da UECE Cláudio Regis Quixadá.

O primeiro tema debatido foi a revogação da prisão preventiva do ex-ministros José Dirceu, pela 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal, derivando as discussões  para o inferno astral vivido atualmente pelo Partido dos Trabalhadores, e mais as reações do ex-presidente Lula às acusações que vem sofrendo, com base na delação premiada de diversos executivos da Petrobrás e das empreiteiras envolvidas com propinas.




A propósito disso, Arnaldo Santos defendeu a presunção de inocência de que ainda desfruta José Dirceu, em virtude de não haver sentença penal transitada em julgado contra ele  criticou severamente o Judiciário, que seria formado por juízes preguiçosos. 

Sobre o tema Djalma Pinto obtemperou que se de fato há juízes pouco produtivos, seriam esses exceções à regra, pois grande parte deles seria atuante e produtiva. O apresentador do programa frisou, quanto ao princípio da presunção de inocência, que não pode ser ela absoluta, e exemplificou com o caso do "Maníaco do Parque", a quem não se pôde conceder a regalia de esperar julgamento em liberdade. 

Entendeu Reginaldo Vasconcelos que em casos muito graves, como aquele de quem seviciou e matou diversas jovens, em conduta delitiva serial, e como o do ex-ministro, que já condenado no processo do Mensalão continuava delinquindo, a concessão da liberdade provisória seria temerária. 

Ante a objeção de Arnaldo no sentido de que José Dirceu não assassinou pessoas de forma perversa, por compulsão psicótica, Djalma Pinto rebateu que, com mais veras se Dirceu não vitimou apenas meia dúzia, mas lesou a totalidade da nacionalidade brasileira, o seu grau de periculosidade é muito alto. 

Reginaldo colocou ainda que as prisões preventivas longas decretadas pelo Juiz Moro são deliberadas, porque fazem parte da estratégia da Operação Lava Jato, e exemplo da Operação Mãos Limpas que foi levada a cabo na Itália: prender, obter as delações e imediatamente tornar públicas as investigações. 

Prof. Antônio Mourão expressou o entendimento de que haveria uma perseguição sistemática ao ex-presidente Lula e ao partido que fundou, quando, conforme notou Cláudio Regis, a corrupção no Brasil vem desde Pero Vaz de Caminha.

Reginaldo registrou que de fato o PT não inventou a corrupção brasileira, que é antiga e sistêmica, porém esse partido sofre invectivas mais pesadas tendo em vista que chegou ao poder sob a expectativa de que iria mudar essa escrita maldita, e no entanto adotou as mesmas práticas deletéria da direita.


Cláudio Regis pontuou que está muito satisfeito com o que ocorre no Brasil atualmente, porque para ele estão sendo lancetadas as pústulas éticas que por muito tempo acometiam a cultura política brasileira. Em fala emocionada César Bertozi revelou que, tendo em vista estarmos sendo expostos na mídia internacional, ele tem sentido vergonha de dizer-se brasileiro.

Após uma longa e proficiente opinião do advogado Roberto Pires sobre o desrespeito ao preceito da presunção de inocência contra milhares de brasileiro pobres, que são encarcerados preventivamente por um tempo sem tempo, demonstrando ser estranhável essa preocupação com os figurões da esquerda, Jeová Mendes discorreu, com os seus profundos conhecimentos de História Universal, que por diversas vezes ao longo da trajetória da humanidade, observaram-se crises nacionais tão graves quanto a que o Brasil vive hoje.

O segundo assunto debatido versou na esfera internacional, sobre a questão do socialismo,  do comunismo e do capitalismo. Antônio Mourão considerou que o comunismo não existe de fato porque não chegou a ser implantado conforme a sua teoria essencial, e que não se podem comparar os regimes cubano, norte-coreano e chinês, a que Reginaldo retrucou que haveria sim um liame entre os países citados, que seria a ditadura. 

Mourão ainda resistiu, exemplificando com as ditaduras capitalistas, como no Mundo Árabe, mas o exemplo não compõe um raciocínio consistente porque os regimes de força do primeiro exemplo têm origem em revoluções socialistas, enquanto no caso dos Países Árabes as ditaduras tem origens culturais milenares.

Por fim, de forma muito bem lembrada, Antônio Mourão defendeu que capitalismo e comunismo não são as únicas soluções possíveis, porque já se observa a terceira via em países europeus altamente civilizados, onde se aplica um capitalismo democrático, com grande vocação social. 

Reginaldo então encerrou o tema com a conclusão de que a roda chegou à Dialética de Sócrates, segundo a tríade de Hegel: Tese, Antítese e Síntese. Ante as imperfeições da tese capitalista, e os defeitos da antítese representada pelos regimes comunistas, os países escandinavos que Mourão citou seriam a síntese, a ser almejada e defendida.



Por fim, compareceu ao estúdio o jornalista Ronald Machado, titular do Programa Dimensão Total, que por fim recebeu diretamente do Presidente da Academia Cearense de Literatura e Jornalismo, Reginaldo Vasconcelos, o título de Mérito Jornalístico, que lhe foi outorgado na Assembleia Geral Aniversária da entidade, na noite do último dia 04 de maio, no Palácio da Luz, a que Ronald não pode comparecer para recebê-lo, por motivo de saúde, tendo sido representado pelo editor Alexandre Maia.






A pedido do homenageado, Reginaldo Vasconcelos disse de cor o Pai Nosso em latim, performance que Ronald sempre lhe cobra quando ambos participam do programa. Desta vez a prece principal do cristianismo, recitada no idioma litúrgico vaticano, representou um preito espiritual de todos os presentes e ouvintes pelo mais breve restabelecimento de Ronald Machado. O vídeo abaixo registra o momento da oração.

video

O programa foi encerrado pelo Dr. César Bertozi, que recitou um soneto escrito por ele em homenagem póstuma ao Belchior, tendo como fundo musical uma seleção de canções da obra do grande compositor. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário