HOMEM DO ANO NO CEARÁ

2019

Cândido Albuquerque

Reitor da UFC

______________________

DESTAQUE CEARENSE

2019

Mansueto Almeida

Secretário do Tesouro Nacional

_______________________

PALAVRA DO ANO NO BRASIL

EM 2019

“PROTAGONISMO”

(COM AS SUAS COGNATAS)

______________________


sexta-feira, 3 de abril de 2020

CRÔNICA - Aos Meus 36 (AA)

Aos meus 36
Alana Alencar*













O melhor de mim vem do impulso.
Do instante, quase sopro, que não controlo e faço... e digo... e escrevo.
Nem sempre parece ser o melhor que alguém poderia ter... porque arraigado dessa minha urgência crua, desnuda-se de toda e qualquer razão.

Meu impulso, por mais dissonante que me chegue, traduz a frequência de como o meu ser responde aos estímulos da vida... E me diz de uma beleza  peculiar... destemida. Tão sutil que sinto ter valido a pena agir, dizer... e escrever.

Meu impulso não tem hora marcada. Não verbera a reação de um comando certo... tem mais a ver com o gesto, com a palavra, com os sentimentos e como eles se declaram.
Tenho (sempre) que estar disposta a suportá-lo e a responder pelas consequências inadiáveis de não tê-lo controlado.

Tenho que sofrer essa ausência de medidas para gozar do encanto de tê-lo como parte do que sou, a potência de manter-me viva.
Voraz.

Porque o melhor de mim vem desse ímpeto... Embora, muitas vezes, absurdo, obsceno, intolerável, de tão intenso atinge uma esfera da alma que nem sempre é alcançada... nem sempre diz de tudo.

Meu impulso é o que me salva desse equívoco do mundo, desse "igual", "morno", "barato"... é o que me acorda ao arrepio e ao pensamento.
É o que me rende a obra.

O melhor de mim vem do impulso.
Desse entusiasmo que evidencia o quão posso ser frágil e incompleta... que diz, sem rodeios, o que ainda lateja e que, de algum modo, tenta adaptar-se.
Meu impulso é a combustão para o brilho nos meus olhos, para o incêndio da minha presença... é o que tenho de mais genuíno para criar, criar e criar outra vez... ser além de um parasita, além do "qualquer um".

Sim... meu impulso pulsiona... Deflagra as entrelinhas das possibilidades não vistas... escancara meus desejos, rompe com a tranquilidade inexata... Meu impulso assusta a estabilidade insossa.

Há 36 anos tenho experimentado desse elã vital o êxtase e a balbúrdia de possuí-lo em demasia... quando posso transformo em arte. Quando não posso, aprendo!


2 comentários:

  1. Bendito seja esse impulso, que é mobilizador de todos nós que te conhecemos e amamos, querida Alana!!! E parabéns por legitimá-lo tão corajosamente nessa crônica!!!👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼🤣🤣

    ResponderExcluir